Archive for the ‘nydia bonetti’ Category


09/12/2011

um haijin
abre a janela —
desperta um haicai


29/09/2011

sol atrevido
lambe gotas de orvalho –
surge a manhã


29/09/2011

saudações ao sol
— outro dia renasce
na minha aldeia


29/09/2011

primavera já?
ainda sinto frio – flor
nenhuma


08/09/2011

bola amarela
rompe a montanha –
parto do dia


08/09/2011

evaporaram
as borboletas brancas —
desequilíbrio


08/09/2011

sol não dá trégua
a flor pequena tenta
tocar o rio


08/09/2011

manhã de sol
outros meninos brincam
no rio que era meu


08/09/2011

ando descalça
sobre as pedras quentes
do sol do dia


08/09/2011

já é abril
vou abrir as janelas
e ouvir o vento


08/09/2011

amanhece
madrugadas mais frias –
é maio


08/09/2011

outono já
todos convidados
para o chá


08/09/2011

respiro fundo
trago os olhos vermelhos
do ar de outono


08/09/2011

final de outono:
embaçaram os olhos
da noite


08/09/2011

luar de outono
e o velho telhado –
brilha


08/09/2011

o céu vermelho
o sol mais apressado —
já é inverno


08/09/2011

manhã de inverno
brinca de esconde-esconde
o menino sol


28/06/2011

ainda sem nome
— já alegrou a casa
o pequeno cão


28/06/2011

horizonte rubro
outro pássaro ousou
tocar o sol


28/06/2011

apesar do frio
entre as pedras da rua
há uma flor


28/06/2011

céu tão bonito
— mas como estão frias
as pedras da rua


28/06/2011

na madrugada
lacrimejam os olhos
da vidraça


28/06/2011

pássaros em fuga
rumo ao pôr do sol —
voam os dias


20/05/2011

vazio o ninho
— tão breve infância
de passarinho


20/05/2011

pulsa a cidade
um sol quase poente
cega meus olhos


20/05/2011

de metileno
pássaro azul pequeno
átimo de céu


13/05/2011

lá fora o sol
aqui dentro mormaço
tempo quente


02/02/2011

o muro branco
tinto de sol se pôr
resplandece


02/02/2011

morta de sede
flor pequena se curva
e toca o rio


02/02/2011

o vento sopra
já não há borboletas
só voam folhas


04/12/2010

Bashô Leminski
– mas meu haicai
não sai


04/12/2010

quase extintas
corujas se escondem
dos predadores


04/12/2010

terra molhada:-
chuva faz despertar
a flor


04/12/2010

a chuva mansa
restitui à paisagem
a face verde


04/12/2010

parece sorrir
depois de longo estio
a boa terra


16/11/2010

chuva sol calor e frio
— o tempo enlouquecido
no planeta aquecido


20/10/2010

vôos rasantes
andorinhas perdidas —
sinal de chuva


09/10/2010

coisa mais bonita
gente ou passarinho
ver fazer ninho


17/09/2010

vergam meus ombros
sob o peso das pétalas
dos miosótis


14/08/2010

tecer palavras
em tempos de silêncio
arte : ofício


25/07/2010

furtiva mente –
o balão lua cheia
escapuliu


25/07/2010

toque de sertão
no meu chá inglês
com rapadura


12/06/2010

porque já já
é tempo bom de se esperar
espero


24/05/2010

cultivo
árvores de lanternas
no meu jardim


04/05/2010

no sub solo
do ser tão árido
brota a palavra


04/05/2010

halo de lua –
da espada de Jorge
puro reflexo


14/02/2010

estranho dia
o sol parece sentir
frio


14/01/2010

mãe natureza
somos todos rebentos
em busca de sol


14/01/2010

bambus no vento:
no tronco habita a força
no oco, a paz


14/01/2010

a vida é fio
que ela mesma corta —
quem tiver asas, voe


14/01/2010

fogão de lenha
tacho de cobre e a “nonna”
saudade é doce


14/01/2010

aqui tanto sol
por aí, chuvas sem fim:
humores do céu


14/01/2010

servem para quê
e para onde seguem
tantas palavras?


14/01/2010

verão nos olhos
inverno sob as asas
sonha andorinha!


14/01/2010

eu… meu cão… o sol…
sob o mesmo céu – tudo
é só preguiça


14/01/2010

poesia
flor de primavera – nós
ávidos beija-flores


14/01/2010

pousa tão leve
borboleta amarela –
o sol nas asas


14/01/2010

chuva e escuridão
o mesmo céu da infância —
sem lamparinas


12/01/2010

brilha lá fora
a lua dourada —
hoje fatiada


14/11/2009

lua no céu
no meu quintal um cão
aqui, solidão


03/11/2009

a lua era cheia
andei delirante: caí na real
minguante


01/11/2009

dança na janela
vermelha e branca asa
pássaro é flor